Thiago mU

Thiago mU

Thiago é jornalista, locutor e produtor à frente de empresas como o Studio Mu e dos Canais AudioProdutor e GospelBeats

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Bolsonaro assumiria risco político enorme se demitisse Mandetta, dizem analistas

A tensão entre o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde Luis Henrique Mandetta tem escalado, com indícios cada vez maiores de uma possível demissão.

Mandetta vem discordando publicamente do presidente ao apoiar o isolamento social como forma de evitar a disseminação do coronavírus, medida com a qual o presidente não concorda. Bolsonaro chegou a dizer nos últimos dias que os dois “andaram se bicando”.

Nesta segunda-feira (6/4), dois auxiliares do presidente disseram ao jornal O Globo que Bolsonaro demitiria Mandetta ainda naquele dia, mas a demissão não se concretizou. Ainda na segunda, o ministro da saúde disse a integrantes do Ministério Público em uma reunião que “não sabe até quando ficará no cargo”, segundo o mesmo jornal.

Em entrevista coletiva ainda nesta segunda, Mandetta anunciou que fica no cargo após reunião com o Planalto, mas disse que tinha gente “esvaziando as gavetas” no ministério por não saber se ele continuaria ou não.”Ficou todo mundo com a cabeça meio avoada, se eu iria permanecer, se eu iria sair. Agradeço muito os que vieram em solidariedade. ‘Se você sair eu saio junto’. Gente aqui dentro limpando gaveta. Pegando as coisas. Até as minhas gavetas. Nós vamos continuar, porque continuando a gente vai enfrentar o nosso inimigo. O nosso inimigo tem nome e sobrenome, é o Covid-19″, disse Mandetta.”Médico não abandona paciente, eu não vou abandonar. Agora, as condições de trabalho dos médicos precisam ser para todos. Eu vou tentar trazer as melhores condições para vocês na ponta. E a única coisa que eu estou pedindo é que nós tenhamos o melhor ambiente para trabalhar aqui no Ministério da Saúde”, disse ele.

Situação é semelhante ao desgaste entre o presidente e ministros anteriores, como o ex-ministro da educação Ricardo Vélez Rodríguez. No início do ano passado, Bolsonaro foi ao Twitter dizer que não demitiria o Rodriguez, diferentemente do que diziam diversos jornais na época. Em abril o ministro foi demitido.

Open chat
1
Olá!
Posso te ajudar?